sábado, 5 de março de 2011

Quem, em quatro atos


Quem saberá quem deu bordas ao mar?
Quem, em ardor, lhe contém em furor?
Quem, com bravura e forte figura,
Pode aplacar a revolta do mar?

Quem é que inflama a vida na chama?
Quem, por jogo, dá formas ao fogo?
Quem, com pavio aceso no brio,
Enreda a trama ardente da chama?

Quem pode alçar as alturas do ar?
Quem, num sopro, dá ao vento seu corpo?
Quem, com laço que guie o compasso,
Consegue adestrar as curvas do ar?

Quem emperra o caminho da terra?
Quem, pé no chão, a sustém com a mão?
Quem, com poder germinado em querer,
No bolso aferra os giros da terra?

Um comentário:

Rafael disse...

Manu, parabéns pelos seus textos. Conheci seus trabalhos pelo blog Duelo de Escritores. Gostei bastante! Aparece por lá, tenho concorrido tb. Essa rodada é sobre a "dor", acho que seus textos tem muito disso. Abs. Rafa Bermudes