sexta-feira, 3 de abril de 2009

Constância

Há que ser assim
Constante

É constância intensidade
Ou um fio de verdade,
É ar que entra e sai sem se sentir?

Pois, que seja o ar:
A leveza que dá vida
Com o peso da atmosfera,
Natural para quem respira,
Velado para quem espera.

Constante

Não como a rima pouca deste verso,
Por vezes conveniente,
Mas como o choro de quem o escreve
E a empatia de quem o sente.

Constante

Como é constante todo o fim
E conivente todo o sim,
Como é grave todo o pranto
E imensurável cada tanto.

Um comentário:

Gustavo Racca disse...

FELIZ DIA 03 do 04!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

Parabéns pelo novo blog, tá muito melhor, mais bonito, simpático e atraente! Parabéns!!!! Continue visitando numa folhe qualquer!!!!rs